terça-feira, 30 de novembro de 2010

OS MAIS EMBLEMÁTICOS RETRATOS DE KATE MOSS

A sua beleza singular, o seu estilo inconfundível, a sua sensualidade e capacidade camaleónica de adaptação ao estilo de cada fotógrafo distinguem Kate Moss desde o início da sua carreira, há 23 anos. A famosa modelo tornou-se uma musa, inspirou diversos fotógrafos e artistas plásticos, desde Bruce Weber a Lucien Freud, e ofuscou os limites entre a fotografia de moda e a arte contemporânea.

Para homenagear Kate Moss, a galeria nova-iorquina Dazinger Projects criou um projecto único: um álbum que reúne os seus 11 retratos mais emblemáticos assinados por grandes mestres da fotografia como Annie Leibovitz, Mert & Marcus, Terry Richardson, David Sims, Mario Sorrenti, Juergen Teller, Mario Testino, Inez Van Lamsweerde & Vinoodh Matadin e Bruce Weber, entre outros.

Apresentadas numa caixa prateada desenhada pela directora de arte Ruth Ansel e impressa pelo tipógrafo David Adamson, as 11 fotografias evocam a arte e o estilo distinto dos fotógrafos favoritos de Kate Moss. Além de uma homenagem à carreira da super modelo, este álbum, que tem uma edição limitada de 30 exemplares, é também um reflexo da actual condição da arte, moda, fotografia e cultura. A obra será apresentada na feira de arte contemporânea Pulse, que terá lugar no início de Dezembro em Miami.

FOTOS:
Em cima - © Glen Luchford, 1994
Em baixo (da esquerda para a direita) - © David Sims, 2006; © Bruce Weber, 1997; © Mario Testino, 2008


A ARTE E A MODA DE SONIA DELAUNAY

Os criadores de moda sempre tiveram uma forma simbiótica de relacionamento com os pintores: Yves Saint Laurent com Mondrian, Elsa Schiaparelli com Salvador Dali, Marc Jacobs com Stephen Sprouse ou Takashi Murakami. Mas a artista que conseguiu unir como ninguém Moda e Arte foi Sonia Delaunay. Entre 18 de Março e 5 de Junho de 2011, o Cooper-Hewitt National Design Museum, em Nova Iorque, presta homenagem à conhecida colorista e pintora abstracta com a exposição “Color Moves: Art and Fashion by Sonia Delaunay”.

Sonia Delaunay aplicou o seu talento e teorias cromáticas a todas as áreas de expressão visual: grafismo, decoração, teatro, cinema, moda e têxteis. Uma das distintivas do seu trabalho é a sensação de movimento e ritmo criada pelos contrastes simultâneos de determinadas cores. A exposição “Color Moves: Art and Fashion by Sonia Delaunay” focará as criações de moda desenvolvidas no seu atelier em Paris durante a década de 1920 e os têxteis desenhados para a department store Metz & Co, em Amesterdão, nos anos 1930. Em exibição estarão exemplos de têxteis, peças de vestuário e fotografias que pertencem às colecções do Musée des Arts Décoratifs, do Musée de la Mode de la Ville de Paris, da Biblioteca Nacional de França e de várias colecções privadas da Europa e Estados Unidos.



Sonia Delaunay (Ucrânia. 1885 - Paris, 1979) teve um vínculo especial com Portugal. Em 1915, fugindo da Primeira Grande Guerra, Sonia, o seu marido Robert, pintor cubista, e o seu filho Charles, instalaram-se numa casa em Vila do Conde, a que chamaram “La simultané”. Conviveram com os pintores Eduardo Viana, Amadeo de Sousa-Cardoso e Almada Negreiros, em ambiente estimulante e criativo, com inúmeros projectos que nem sempre chegaram a concretizar. Sonia e Robert Delaunay mencionaram sempre a importância desta passagem por Portugal na sua vida e obra. A luminosidade do nosso país foi de extrema importância para o trabalho de Sonia Delaunay. Em Portugal, Robert Delaunay aplicou, melhor do que em qualquer outro lugar, a sua teoria sobre a cor simultânea, elaborada por volta de 1910.

Sonia Delaunay utilizou a estética do simultaneísmo em objectos têxteis e padrões de tecidos que lhe estimularam a criatividade e permitiram a sua própria subsistência, sobretudo após o seu regresso definitivo a Paris, em 1921. Três anos depois, na sequência de uma encomenda de uma empresa têxtil de Lyon, Sonia fundou o Atelier Simultané, estampando padrões em tecido, e transpondo para as artes decorativas as vanguardas da pintura, fosse em interiores de casas, lojas ou carros, chapéus, bordados ou figurinos para bailados e cinema.

Entre 1923 e 1934, Sonia Delaunay produziu inúmeros padrões, numa pesquisa meramente pictórica de relações de cores com formas geométricas ritmadas. O guache sobre papel, durante muito tempo desvalorizado, revelou-se mais leve, rápido e fluído do que o óleo sobre tela, e permitiu-lhe multiplicar experiências. Inúmeras variações executadas metodicamente num ritmo frenético, em cadernos e folhas soltas, com numerações da própria artista, séries de variantes, sucessões e sobreposições parciais de estruturas, formas, cores e contrastes permitiram a Sonia Delaunay relacionar os padrões têxteis com a modernidade e a arte abstracta. Com uma linguagem rítmica, Sonia Delaunay conseguiu uma divulgação surpreendente e democratizada de pesquisas pictóricas, que lhe concedem um lugar privilegiado na criação contemporânea.


segunda-feira, 29 de novembro de 2010

OS SAPATOS JÓIA DE JIMMY CHOO

Eternos objectos de desejo, os sapatos Jimmy Choo são luxuosos, exuberantes e elitistas e usá-los é sinónimo de distinção e glamour. E ainda mais agora que a empresa acaba de lançar uma colecção especial de sapatos jóia para celebrar o seu 15º aniversário, denominada “Cristal Collection”.

A equipa de design da Jimmy Choo recuperou a origem da empresa, o que a tornou conhecida em todo o mundo e na passadeira vermelha: o sapato jóia. Tamara Mellon, directora criativa da marca, inspirou-se em joalharia vintage e no estilo icónico de Marilyn Monroe. O resultado é uma colecção única, com sapatos dignos de um museu, com saltos altíssimos e diversos cristais incrustados.

Os modelos de destaque são: Ciara, com um design anos 20 e salto transparente em plexiglass; Zafira, com cristais Swarovski e frente com tiras entrelaçadas; Viola, um modelo sóbrio e elegante com cristais Swarovski e de quartzo em tons dourados; Niagra, com plataforma com efeito espelho e salto transparente; e Marine, com 15 discos de cristais a adornar as tiras de pele que prendem à perna. A colecção inclui também alguns modelos mais simples, com saltos mais baixos.

Uma grandiosa campanha publicitária, fotografada por Marilyn Mister, transmite a força e o encanto dos novos Jimmy Choo. A “Cristal Collection” já está à venda nas lojas da marca e alguns dos modelos, como Ciara e Zafira, já têm listas de espera.

HISTÓRIA DA MODA CONTEMPORÂNEA NO MUSÉE LES ARTS DECORATIFS DE PARIS

Se gosta de Moda e necessita de um pretexto para visitar a Cidade Luz nos próximos meses, tome nota. A exposição “Histoire Idéale de la Mode Contemporaine”, patente no Musée Les Arts Decoratifs de Paris até Maio de 2011, reúne 150 criações seleccionadas a partir das colecções mais representativas da última década do século XX: Dolce & Gabbana, Jean Paul Gaultier, Jil Sander, John Galliano para Dior, Alexander Mcqueen para Givenchy, Vivienne Westwood, Martin Margiela para Hermès, e Marc Jacobs para Louis Vuitton, entre outros.

Dividida em várias “escolas” - belga, inglesa, urbana, minimalista, Alta Costura – a exposição revela a paixão e o savoir-faire de cada designer, evidenciando a sua contribuição para o desenvolvimento da Moda, pela sua abordagem, a sua pesquisa estilística e a sua relação com a profissão. Dolce & Gabbana cederam para esta mostra dois dos seus emblemáticos espartilhos das colecções Le Pin Up (Outono/Inverno 1991/92) e New Sexy Glam (Primavera/Verão 2007).

Esta é a segunda vez que o Musée Les Arts Decoratifs de Paris consagra uma exposição à História da Moda. “Histoire Idéale de la Mode Contemporaine” estará patente ao público até 8 de Maio de 2011.


Foto: Colecção New Sexy Glam (Verão 2007) de Dolce & Gabbana

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

MET MUSEUM PRESTA HOMENAGEM A ALEXANDER MCQUEEN

O Metropolitan Museum de Nova Iorque vai prestar homenagem a Alexander McQueen na sua exposição anual do Costume Institute, que terá lugar entre 2 de Maio e 31 de Julho de 2011. Em exibição estarão 100 peças criadas por McQueen, desde o início da sua carreira até ao dia do seu adeus.

Os 20 anos de moda de Alexander McQueen serão transladados para as salas do MET Museum, incluindo a sua colecção de final de curso na Central Saint Martins School em 1992 e a sua última colecção, apresentada semanas após a sua morte em Fevereiro de 2010. A exposição inclui fotografias e peças dos arquivos de McQueen em Londres e da casa Givenchy em Paris, assim como de colecções privadas como a de Isabella Blow que actualmente pertence a Daphne Guinness.

Na direcção do projecto está o comissário Andrew Bolton, acompanhado de Anna Wintour, Stella McCartney e Colin Firth como co-presidentes e François-Henri Pinault e Salma Hayek como presidentes honorários.

A exposição estará dividida em diversas temáticas como “o pensamento selvagem”, “o romântico gótico”, “o nacionalismo romântico”, “o exotismo romântico” e “o primitivismo romântico”, todas elas reflexo do fascínio de McQueen pelo século XIX.

Além de um importante evento sobre o legado de Alexander McQueen, esta mostra representará também um novo e emocionante capítulo na história da sua empresa.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

DAILY MODALISBOA PREMIADO COM FASHION AWARD NA CATEGORIA DE MELHOR COMUNICAÇÃO

Realizou-se ontem, no Teatro Tivoli, em Lisboa, a cerimónia de entrega dos Fashion Awards Portugal 2010, um evento co-organizado pela Fashion Tv Portugal e a Câmara Municipal de Lisboa, onde foram reconhecidos e distinguidos diversos profissionais que este ano contribuíram excepcionalmente para o reconhecimento da Moda em Portugal. O evento foi apresentado por Joaquim Monchique e contou com a presença dos vários nomeados, do júri dos Fashion Awards e de várias personalidades do meio da Moda.

Dos 42 nomeados foram premiados catorze, incluindo o DAILY MODALISBOA, na categoria de MELHOR COMUNICAÇÃO. Um prémio do qual nos orgulhamos e que nos incentiva a continuar a apostar, cada vez mais, na divulgação da Moda Portuguesa. Categoria a categoria, foram divulgados os outros vencedores:


MELHOR CRIADOR
Luís Buchinho

MELHOR NOVO CRIADOR
Fernando Lopes

MELHOR DESIGNER ACESSÓRIOS
Carlos Santos

MELHOR MARCA NACIONAL
Lanidor

MELHOR MODELO FEMININO
Jani Gabriel

MELHOR MODELO MASCULINO
Luís Borges

MELHOR MODELO NEW FACE
Marta Matos

MELHOR MARCA INTERNACIONAL
Prada

MELHOR FOTÓGRAFO
Pedro Ferreira

MELHOR PRODUTOR EDITORIAL
Paulo Macedo

MELHOR MAQUILHADOR
Cristina Gomes

MELHOR CABELEIREIRO
Miguel Viana

MELHOR DESIGN LOJA
Wrong Weather (Porto)


A noite culminou com a atribuição do PRÉMIO ESPECIAL FASHION TV à directora da Elle Portugal, Fátima Cotta.

Os nossos sinceros Parabéns a todos os nomeados e vencedores!


www.fashionawardsportugal.com

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

SIGG APOIA PROJECTO “EU E OS MEUS IRMÃOS”

Nos próximos dias 26, 27 e 28 de Novembro, compre uma garrafa SIGG. Além de estar a contribuir para reduzir o desperdício e cuidar melhor do nosso Planeta, estará também a ajudar as crianças moçambicanas a terem água potável onde vivem. Durante o próximo fim-de-semana, a SIGG irá reverter €1 da venda de cada garrafa para o projecto “Eu e os Meus Irmãos”, com o intuito de angariar fundos para a realização de um furo de água em Moçambique.

A história do projecto “Eu e os Meus Irmãos” começou a 26 de Outubro de 2009, quando a SIC emitiu uma reportagem da jornalista Cândida Pinto sobre crianças moçambicanas orfãs. Em Moçambique a taxa de mortalidade devido à Sida é extremamente elevada e essa condição cria uma situação grave: existem milhares de crianças que vivem sozinhas e praticamente isoladas do Mundo que as rodeia. Sem os pais, torna-se muito complicado viver. Há questões que são básicas como a utilização da água, que para estas crianças é um esforço acrescido pois a grande maioria tem de se deslocar a pé, durante 10 quilómetros, para regressarem com cerca de 20kgs à cabeça de forma a poderem ter água potável.

Esta reportagem sensibilizou muitas pessoas, em especial três telespectadoras que, no dia 17 de Março de 2010, formaram uma Associação sem fins lucrativos para o Desenvolvimento da Criança, denominada "Eu e os Meus Irmãos", que trabalha em parceria com a ONG em Moçambique - MAHLAHLE. O objectivo é conseguir através de acções de solidariedade com marcas como a SIGG, ajudar esses meninos e meninas de Inhambane, a 440 Km de Maputo.






SIGG

A SIGG foi fundada em 1908 na Suiça e é actualmente a garrafa de alumínio mais famosa do mundo, sendo vendida em 60 países. Depois de 100 anos de história, a SIGG transformou-se não só numa garrafa reutilizável, mas também 100% reciclável, eco-friendly e um verdadeiro acessório de moda.

A SIGG faz parte da colecção permanente do MoMa de Nova Iorque e lança anualmente uma colecção de garrafas com intervenções dos melhores designers de todo o mundo. Cada garrafa SIGG é, portanto, uma obra de arte internacional.

Além disso, as garrafas SIGG são 100% seguras, superando as exigências da FDA (Autoridade de Alimentos e Fármacos). O seu revestimento interior é 100% livre de Bisfenol A (BPA), bactéria que se vai criando principalmente em garrafas de plástico e que é prejudicial para a saúde humana.

A SIGG é membro do “1% For The Planet”, uma organização não governamental criada em 2002 por Yvon Chouinard, fundador da Patagónia. Hoje em dia esta organização conta com mais de 1000 empresas à volta do mundo, que doam todos os anos 1% das suas vendas anuais para ajudar e restabelecer o meio ambiente.

Por todo o Mundo, são cada vez mais as celebridades que têm a SIGG como a marca top de garrafas ecológicas e reutilizáveis.

Usar uma garrafa SIGG só tem vantagens!


PONTOS DE VENDA SIGG:

GRANDE LISBOA - Colombo, Vasco da Gama, Saldanha Residence, CascaiShopping, Fórum Almada, Fórum Montijo

NORTE - Norte Shopping; Centro – Fórum Coimbra, LeiriaShopping; Sul - Algarve Shopping; Madeira – Madeira Shopping.

BALENCIAGA HOMENAGEADO EM NOVA IORQUE

A exposição “Balenciaga: Spanish Master”, patente no Instituto Rainha Sofia de Nova Iorque até 19 de Fevereiro de 2011, presta homenagem a um dos criadores de moda espanhóis mais internacionais.

“Existiram dois criadores chave na história da moda: Coco Chanel, que mudou a forma de vestir das mulheres, e Balenciaga, que alterou as proporções da moda”, afirmou Oscar de la Renta, um dos promotores da exposição, durante a sua inauguração, no passado dia 19 de Novembro. “Balenciaga: Spanish Master é a primeira exposição do criador que tem em conta o impacto da sua obra na cultura, história e arte espanhola”, explicou Hamish Bowles, editor da Vogue americana, outro dos promotores da iniciativa.

Em exibição estão mais de 70 peças, incluindo alguns dos vestidos mais icónicos de Balenciaga, que permitem aproximar o lado mais tradicional e espanhol do genial criador, relacionando as suas criações com obras de pintores emblemáticos como Velazquez, Goya, Zurbarán ou Miró. Especial atenção merece também a indumentária religiosa, os trajes regionais, o esplendor das corridas de touros e o flamengo, que serviram de inspiração a muitas criações de Balenciaga.

A casa Balenciaga, em Paris, emprestou alguns dos seus modelos de arquivo para a exposição, incluindo um vestido de noite que o criador basco criou em 1939 e que chamou ‘Infanta’, por se assemelhar aos vestidos usados pelas princesas espanholas no século XVII (ver imagem). O Metropolitan Museum e o Costume Institute de Nova Iorque também cederam algumas peças, como um bolero de noite estilo toureiro com sumptuosos bordados desenhado em 1947 e um elegante vestido em seda marfim criado em 1964 e emprestado pela Hispanic Society of America.

Esta viagem pela obra do genial criador espanhol poderá ser desfrutada no Instituto Rainha Sofia de Nova Iorque até Fevereiro próximo. A exposição segue posteriormente para o Young Museum de São Francisco, onde estará patente de 26 de Março a 4 de Julho de 2011.

LANVIN FOR H&M

No passado dia 18 de Novembro, realizou-se em Nova Iorque o desfile de apresentação da esperada colecção Lanvin for H&M, que estará disponível amanhã numa selecção de lojas da cadeia sueca.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

DSQUARED2 LANÇA COLECÇÃO PARA CÃES

Dsquared² propõe levar os seus acessórios ao mundo animal. A marca preferida das celebridades norte-americanas uniu-se à loja virtual Yoox para lançar uma colecção exclusiva de edição limitada de coleiras e trelas para cães, que está disponível na nova secção Pets de Yoox.com.

As receitas geradas pelas vendas reverterão para a Much Love Animal Rescue, uma organização sem fins lucrativos dedicada a encontrar lares seguros para animais abandonados e maltratados.

Para dar a conhecer esta iniciativa, Yoox.com lançou um divertido vídeo viral, intitulado “The Gigolo”, onde aparecem Dan e Dean Caten, designers da Dsquared², que mais uma vez surpreendem e divertem o seu público com o toque de ironia que sempre caracterizou a sua marca.









GOOGLE LANÇA PLATAFORMA DE MODA ONLINE

O Google faz a sua primeira incursão no mundo da Moda, com o lançamento de www.boutiques.com, uma nova plataforma online que reúne diferentes lojas virtuais e looks recomendados por sites especializados em Moda. Com um funcionamento similar ao motor de busca do Google, permite aos utilizadores seleccionar as suas peças de roupa, marcas e looks preferidos na sua loja personalizada, bem como aceder às últimas novidades do mundo da Moda.

O objectivo de www.boutiques.com é orientar e redireccionar os visitantes. Não se trata de uma loja online, mas os internautas que queiram localizar uma peça de roupa podem fazê-lo através desta plataforma. Uma vez feita a selecção, o Google facilita aos utilizadores o acesso directo à webpage de cada marca, onde podem adquirir as peças eleitas.

A esta iniciativa juntaram-se diversas marcas internacionais como Oscar de la Renta, Tory Burch, Tracy Reese, Erin Fetherston, Marchesa, Cynthia Rowley ou Isaac Mizrahi.

De momento, a plataforma está disponível somente para os utilizadores dos Estados Unidos e oferece apenas moda feminina, mas o objectivo do Google é ampliar o projecto, incluindo mais marcas no seu catálogo e estendendo o serviço a outros países. Boutiques.com tem também uma aplicação gratuita para o iPad.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

TAKASHI MURAKAMI EM ROMA

A Gagosian Gallery, em Roma, apresenta, até 15 de Janeiro de 2011, a primeira exposição a solo de Takashi Murakami. Desta vez, o célebre artista japonês aposta num trabalho monocromático, usando apenas o azul numa pintura e o vermelho noutra. “A combinação de vermelho e azul com o dragão, que é considerado um símbolo de sorte e optimismo, é a minha tentativa de reafirmar a minha devoção à arte”, explica Murakami.

Em exibição estão duas pinturas épicas - Dragon in Clouds: Red Mutation e Dragon in Clouds: Indigo Blue – cada uma com nove painéis e 18 metros de comprimento. As pinturas com nuvens e dragões, conhecidas como Unryuzu, foram referências chave para Soga Shohaku, um artista japonês do século XVIII, cuja excêntrica e ousada imaginação tem sido uma forte inspiração para Murakami.

Embora estas pinturas monocromáticas se distanciem da habitual paleta colorida de Murakami, o artista continua a revelar uma série de influências, desde os símbolos religiosos nipónicos ao popular jogo de vídeo japonês Blue Dragon. Em Dragon in Clouds: Red Mutation, os volumétricos contornos dos remoinhos e enormes garras espalham-se pelos painéis, enquanto as escamas sombreadas do corpo do dragão reproduzem os efeitos das pinturas de Soga Shohaku.

Em Dragon in Clouds: Indigo Blue, frenéticos remoinhos circundam as pupilas do dragão e misturam-se com as suas narinas e sinuosos bigodes para criar uma turbulência visual. Nestas gigantescas pinturas de Murakami, o dragão torna-se uma lembrança da ligação intrínseca entre arte e espírito.


TAKASHI MURAKAMI, nascido em Tóquio em 1962, é um dos mais influentes e aclamados artistas nipónicos da actualidade. Formou-se em pintura tradicional japonesa, conhecida como Nihonga, na Tokyo National University of Fine Arts and Music, mas a popularidade da animação e da banda desenhada manga desviou o seu interesse para a arte da animação, que, segundo o próprio artista, “era mais representativa da vida moderna japonesa”. A cultura popular americana sob a forma de animação, comics e moda são as principais influências do trabalho de Murakami, que abrange pintura, escultura, instalação e animação, assim como uma vasta gama de produtos coleccionáveis.

O MINIMALISMO E A MODA

“Minimalism and Fashion” é o primeiro livro a examinar o movimento minimalista na Moda, e a sua confluência e divergência de correntes similares na Arte, Arquitectura e Design. O texto, organizado por décadas e acompanhado por mais de 150 imagens, explora as conexões e influências da Arte e do Design minimalista na indústria da Moda, desde os anos 1940 à actualidade. Um prefácio do designer Francisco Costa, director criativo da Calvin Klein, esclarece como o minimalismo continua a influenciar o Design de Moda.

Publicado pela Harpers Collins Publishers, “Minimalism and Fashion” contempla o trabalho de alguns dos mais importantes designers e artistas do mundo. Peças de criadores notáveis como Madeleine Vionnet, Andre Courreges, Halston, Karl Lagerfeld, Rei Kawakubo, Miuccia Prada, Yohji Yamamoto, Helmut Lang, entre muitos outros, convivem com grandes obras dos principais artistas minimalistas: Frank Stella, Sol LeWitt, Donald Judd, Dan Flavin, Rachel Whiteread, Peter Halley, e Jeff Koons. O livro contém fotografias editoriais dos maiores fotógrafos do século XX e XXI, incluindo Richard Avedon, Hiro, Francesco Scavullo, Guy Bourdin, David Bailey, William Klein, Corinne Day, e Juergen Teller.

Uma obra imprescindível para os apreciadores de livros de Moda, Arte e Fotografia.





quarta-feira, 17 de novembro de 2010

UM GALARDÃO PARA PACO RABANNE

A sua imagem de marca é a inovação e as suas criações emblemáticas enriqueceram a história da moda no século XX. Paco Rabanne deixou o mundo da Alta Costura em 1999, mas a sua trajectória profissional continua a ser reconhecida. O designer espanhol de 76 anos acaba de ser galardoado no seu país natal com o Premio Nacional de Diseño de Moda, em reconhecimento da sua contribuição para a moda e cultura do século XX.

Paco Rabanne, o segundo criador de moda agraciado com este prémio (a primeira edição foi para Manuel Pertegaz), é mundialmente conhecido por ter criado um novo conceito de moda ao trabalhar as suas criações com materiais inesperados como o papel, o alumínio ou o plástico. Com este prémio confirma-se a originalidade e a qualidade da sua obra.

Paco Rabanne, considerado o criador espanhol vivo mais universal e que se chama, na verdade, Francisco Rabaneda Cuervo, nasceu em Pasajes (Guipúzcoa) em Fevereiro de 1934. Quando tinha 5 anos refugiou-se em França com a mãe e as irmãs depois do pai, um militar republicano, ter sido fuzilado pelas tropas de Franco. Estudou Arquitectura na Escola Superior de Belas Artes de Paris e entrou no mundo da moda por intermédio da sua mãe, que tinha trabalhado no atelier de Balenciaga, em San Sebastián. Paco Rabanne começou por desenhar acessórios para as grandes casas de moda de Paris - Givenchy, Balenciaga e Dior - e foi em 1963, quando apresentou a sua primeira colecção de roupa, que experimentou trabalhar com materiais como o plástico, o papel ou o alumínio, criando uma nova relação entre o corpo e o vestuário. As suas criações estenderam-se aos mundos da fotografia e do cinema, marcando o imaginário visual dessa época. Os seus vestidos de plástico e metal foram usados por Françoise Hardy, Brigitte Bardot e Jane Fonda (em Barbarella). Paco Rabanne criou um grandioso império no mundo da moda, que abrange desde a Alta Costura, o pronto-a-vestir e os perfumes até aos artigos de decoração, e que passou a pertencer ao grupo espanhol Puig em 1986. Conhecido também pelas suas actividades artísticas e a sua faceta filosófica, Paco Rabanne anunciou que iria deixar a Alta Costura em 1999.

POPPY DELEVINGNE NO CATÁLOGO DA MANGO

Poppy Delevingne mostra o seu lado mais natural no novo catálogo de Novembro da marca Mango, que combina o look romântico com o masculino. A modelo de origem britânica, filha de Pandora Delevingne, está a tornar-se num dos rostos mais solicitados no mundo da moda. Descoberta por Sarah Doukas, da agência Storm Model Management, Poppy apareceu nas campanhas publicitárias de Anya Hindmarch, Laura Ashley, Clarke Astley e Bamford & Sons, assim como em várias capas das mais importantes revistas de moda.

A sessão fotográfica, realizada no Hotel Palace, o antigo Hotel Ritz de Barcelona, esteve a cargo do fotógrafo Txema Yeste, que imortalizou a feminilidade e naturalidade de Poppy Delevingne. O styling foi criado pela equipa da Mango, enquanto a maquilhagem e cabelos foram da responsabilidade de Jordi Fontanals e Christoph Hasenbein respectivamente.

Nesta estação, a marca espanhola continua a reinterpretar peças tradicionais de inspiração campestre, como a capa, as peças com apliques de cabedal e camurça ou o tricô grosso com aspecto artesanal, em tons de camel e vermelhos invernais, combinados com toques de cinzento e azul. Para a noite, apostou num ar teatral e romântico, recorrendo a plumas, lantejoulas ou peles. A paleta cromática é formada por tons associados ao vintage como o bege, misturados com chocolate e caramelo, enquanto o ouro e o cobre dão toques de luz.





terça-feira, 16 de novembro de 2010

FUNDAÇÃO PRADA EXPÕE “THE GIACOMETTI VARIATIONS”

“The Giacometti Variations” é uma instalação original do artista americano John Baldessari concebida especialmente para a Fundação Prada, em Milão. Como o nome do projecto indica, John Baldessari inspirou-se no imaginário do escultor suíço Alberto Giacometti e criou nove esculturas de figuras femininas extremamente esguias que vestem peças de roupa e objectos desenhados pelo próprio artista, formando um hipotético, embora imóvel, desfile de moda. O artista capta, assim, uma ideia de integração e diálogo entre Arte e Moda.

Neste projecto, John Baldessari revisita algumas imagens que nascem da relação intrínseca entre o Cinema e a Moda. Dispostas em fila, as figuras de 4,5 metros de altura, feitas em resina e aço e pulverizadas com bronze, foram inspiradas em personagens e cenários tão distintos como a bailarina de Degas "La petite danseuse de quatorze ans"; Marilyn Monroe e o glamour de Hollywood dos anos 50; a crinolina do século XIX de "Gone with the Wind" ou o trench-coat de Humphrey Bogart em "Casablanca".

A instalação será desdobrada em segmentos, apresentando um total de 18 looks diferentes em rotação. Através deste processo de transformação, o artista reflecte também sobre a efemeridade da Moda e o actual mercado de Arte.

“The Giacometti Variations” está em exibição até 31 de Dezembro de 2010.



LACOSTE LEGENDS – O PODER DOS 12

A marca Lacoste acaba de apresentar mais um novo e inspirador projecto: Legends. Doze lendários colaboradores dos mundos da música, media, moda e retalho foram convidados a criar uma colecção exclusiva de 12 pares de sapatos, partilhando os valores da Lacoste de tenacidade, autenticidade e modernidade.

A história dos Legends começa com René Lacoste. Um campeão do ténis dos anos 1920 conhecido como “O Crocodilo” pela sua tenacidade em campo, René era uma verdadeira lenda na sua época. Famoso pelo seu desportivismo, vivacidade, elegância e um sentimento duradouro de estilo, René prosseguiu até encontrar o epónimo da marca Lacoste, que mais de 75 anos depois ainda mantém o venerado emblema do crocodilo.

René Lacoste criou um estilo misto de descontracção e elegância, para se mover mais facilmente e se sentir mais confortável enquanto jogava. Em 1933 lançou o pólo L.12.12, de manga curta e com gola e carcela caneladas, que veio substituir a tradicional camisa de manga comprida e colarinho, revolucionando o vestuário desportivo. Para o seu fabrico foi utilizada uma malha de algodão leve e fresca conhecida como petit piqué, e no lado esquerdo do pólo, à altura do peito, foi bordado o famoso crocodilo. Pela primeira vez, uma marca era visível no exterior de uma peça de roupa. Foi uma grande inovação na história do vestuário e a ideia prosperou largamente desde então. O pólo L.12.12 continua a ser um ícone da marca Lacoste, sinónimo de qualidade e estilo.

A história continua com o projecto Legends, que junta 12 colaboradores lendários dos mundos da música, media, moda e retalho - Jazzie B, Sébastien Tellier, Stones Throw, Ato Matsumoto, Christophe Lemaire, Tim Hamilton, Sneaker Freaker, i-D, Shoes Master, Bodega, D-Mop, Colette - para prestar homenagem ao criador do icónico pólo L.12.12, através de uma colecção exclusiva de 12 pares de sapatos.

Cada sapato tem uma pala feita em algodão petit piqué, que incorpora uma etiqueta de tecido da marca Lacoste finalizada com um botão em madrepérola, referenciando o detalhe encontrado no Pólo L.12.12. Os 12 projectos reflectem as distintas personalidades e os talentos criativos de cada um dos colaboradores, confirmando os seus estatutos lendários como os principais criadores de novas tendências e líderes de opinião em todo o mundo.

Os conteúdos exclusivos dos colaboradores vão ser colocados no website da LACOSTE dedicado às colecções de sapatos: http://www.24teeth.com

Os 12 modelos serão postos à venda, com uma distribuição global seleccionada, no próximo dia 12 de Dezembro de 2010 (12/12). Em Portugal, esta edição estará disponível na loja Coktail Molotof, no Porto, e Akira, em Lisboa.



sexta-feira, 12 de novembro de 2010

RALPH LAUREN 4D

Para celebrar a inovação digital, RalphLauren.com misturou arte, moda e tecnologia numa admirável experiência 4D. Observe como a loja Ralph Lauren na Madison Avenue, em Nova Iorque, "desaparece", transforma e anima com uma série de objectos e imagens.


MARC BY MARC JACOBS COMEMORA 10 ANOS

Marc by Marc Jacobs, a linha de difusão do designer americano, comemora o seu 10º aniversário com o lançamento, para a próxima Primavera, de uma colecção cápsula que, sob o nome “Greatest Hits”, reunirá os seus melhores looks da última década.

Marc Jacobs é considerado um dos designers de moda mais inovadores da actualidade. Além do seu inquestionável talento para o design, Marc tem também uma óptima visão comercial. Prova disso é o lançamento da colecção Marc by Marc Jacobs em 2001, numa altura em que outras marcas de moda ainda aderiam pouco à ideia das linhas de difusão. Agora, para celebrar o seu 10º aniversário, Marc by Marc Jacobs apresenta algo novo: uma colecção comemorativa, que recuperará os clássicos favoritos e peças icónicas de todas as estações, desde o seu lançamento em 2001.

A mini colecção incluirá peças para homem e senhora e constituirá a melhor revisão da trajectória da marca que aproximou as criações de Marc Jacobs do grande público e que detém já 161 lojas em todo o mundo. Marc by Marc Jacobs faz parte do enorme portfolio de marcas do grupo LVMH.


IMAGENS: Colecção Marc by Marc Jacobs Verão 2011






quinta-feira, 11 de novembro de 2010

LOUIS VUITTON E PARIS

Até 27 de Fevereiro de 2011, o Museu Carnavalet, em Paris, conta a história da casa Louis Vuitton, através da exposição "Voyage en Capitale, Louis Vuitton et Paris". Em exibição estão mais de 200 objectos, incluindo pinturas, fotografias e ilustrações, que ajudam a mostrar o papel da marca francesa, que é símbolo de elegância e de requinte, na história cultural e artística de Paris.

Louis Vuitton chegou a Paris com apenas 14 anos e tornou-se aprendiz de um famoso fabricante de baús e malas de viagem. À medida que as pessoas começaram a viajar, Louis Vuitton foi conquistando progressivamente a fama e em 1854 abriu a sua primeira loja na Rue Neuve des Capucines, perto da Place Vendome.

Com o aparecimento do automóvel e do avião, o talentoso artesão alterou a forma abaulada dos seus baús, introduzindo-lhe uma tampa plana, um forro impermeável e uma série de compartimentos para vestidos, leques, luvas e outros acessórios. Na década de 1890, o seu filho, Georges, inventou o fecho Louis Vuitton e o famoso monograma LV para diferenciar os verdadeiros baús Vuitton das inúmeras cópias que começaram a proliferar no mercado. Actualmente a Louis Vuitton possui e dirige centenas de lojas em todo o mundo. Em 1971, a marca associou-se ao grupo Moet-Hennessy e transformou-se no maior império de artigos de luxo do mundo - LVMH.

Aliar a criatividade à sua história é outra das chaves do sucesso da Louis Vuitton. Ao longo dos últimos 30 anos, a empresa diversificou consideravelmente a sua linha de produtos. Em 1983 criou a Louis Vuitton Cup e em 1998 lançou uma colecção de pronto-a-vestir sob a direcção criativa de Marc Jacobs. A popularidade das colecções do criador americano levou à produção de linhas completas de sapatos, acessórios, joalharia e relógios, que se juntaram às distintas malas e acessórios de viagem da marca, numa explosão de criatividade.

O nome Louis Vuitton foi e continuará a ser sinónimo de Luxo.

MUSÉE CARNAVALET
23, Rue de Sévigné - 75003 Paris

VIRAL HERMÈS

A casa de luxo francesa Hermès produziu um curioso viral para apresentar a sua colecção Outono / Inverno 2010/2011.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

MODALISBOA IN THE MARKET NA FASHION TV PORTUGAL

A Fashion TV Portugal, no âmbito da parceria com a ModaLisboa como canal de televisão internacional para divulgar o trabalho dos criadores nacionais, esteve presente na ModaLisboa In The Market com o estúdio Fashion TV. Durante os 4 dias do evento, a jornalista Ana Mesquita efectuou mais de 40 entrevistas a criadores e profissionais de moda portugueses. Os programas ModaLisboa In The Market, com a duração de aproximadamente 30 minutos, serão transmitidos diariamente, às 23h, no período de 18 de Novembro a 18 de Dezembro, dando aos telespectadores a oportunidade de apreciarem o melhor da Moda Portuguesa para a Primavera/Verão 2011.

PRADA APRESENTA LOOKBOOK INVERNO 2011

Miuccia Prada e a sua equipa criativa não deixam de nos surpreender com as suas fontes de inspiração e prodigiosa imaginação. A marca italiana volta a apresentar um lookbook repleto de fantasia para o Outono / Inverno 2010/11, que mistura imagens com ilustração.

A colecção Prada para esta estação fria tem toques de cor puramente outonais – azul escuro, bege, cru, castanho e preto - e denota uma certa inspiração anos 50 nos estampados e acessórios como sapatos, malas de mão e óculos. As ilustrações centram-se num passeio pelas ruas, num estilo retro.

Mais uma mostra de criatividade da marca Prada. Veja o vídeo.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

VENDA DE INVERNO AFORESTDESIGN NO ESPAÇO FABRICO INFINITO

Tudo na vida pode ser infinito...

Para comemorar a imensidão do design, a marca aforestdesign e o espaço Fabrico Infinito uniram-se.

Entre 12 e 23 de Novembro, realizar-se-á uma venda de Inverno do projecto de Sara Lamúrias, aforestdesign, na rua D. Pedro V nº74, ao Príncipe Real.

Uma óptima oportunidade para adquirir peças únicas resultantes de vários anos de experiência no universo do design de moda.

FABRICO INFINITO
Rua Dom Pedro V, 74
1250-094 Lisboa
info@fabricoinfinito.com

SAPATOS ESCULTURA

Chau Har Lee tem atraído a atenção da crítica especializada com a sua linha de calçado conceptual. Feitos em madeira, acrílico, metais e couro, os sapatos da jovem designer recentemente formada em design pelo Royal College of Art de Londres, são verdadeiras esculturas e desafiam pela sua ousadia e originalidade.

Chau pretende revolucionar o processo tradicional de fabrico de calçado, ao utilizar técnicas de joalharia, arquitectura e escultura na criação dos seus sapatos. “Gosto de reduzir os sapatos aos seus básicos e reconstruí-los de uma forma diferente. Trata-se de reconstrução, mas mantendo uma forte narrativa para que permaneçam usáveis”, explica a designer, que além da sua própria colecção, desenha também a linha de footwear da marca Bally. “A Bally é muito mais comercial, enquanto que o meu trabalho começa de uma forma muito conceptual e depois torna-se gradualmente mais usável”.

Lee estudou no Cordwainers College e no Camberwell College of Art e completou o mestrado em design no Royal College of Art. Em 2009, Manolo Blahnik nomeou-a “Footwear Designer of the Year” e no mês passado foi pré-seleccionada para o “Dorchester Collection Fashion Prize”.

“Gosto muito de saltos em aço e de desenvolver a sua estrutura, mas acima de tudo posso dizer que os seus sapatos são fortes e esculturais em termos de formas”, afirma Chau Har Lee. “Gosto do desafio de analisar os métodos tradicionais de fabrico de calçado de um modo novo”.



SEDUCTIVE SUBVERSION: WOMEN POP ARTISTS

A exposição “Seductive Subversion: Women Pop Artists, 1958-1968”, patente no Brooklyn Museum até 9 de Janeiro de 2011, reflecte a profundidade da contribuição das mulheres na Pop Art e repensa a definição deste movimento artístico tradicionalmente dominado pelos homens. “A Pop Art foi definida e dominada por um pequeno grupo de artistas anglo americanos. Esta exposição expande essa definição estreita e reavalia a recepção crítica da Pop Art. Muitas destas obras de arte não foram expostas durante quatro décadas”, explica Sid Sachs, director da Rosenwald-Wolf Gallery da University of the Arts of Philadelphia e curador desta grandiosa mostra.

“Seductive Subversion” expande o cânone Pop Art, expondo o trabalho internacional de importantes mulheres artistas. Em exibição estão mais de 50 pinturas e esculturas de Chryssa, Niki de Saint Phalle, Rosalyn Drexler, Marisol, Yayoi Kusama, Jann Haworth, Vija Celmins, Lee Lozano, Marjorie Strider, Idelle Weber, e Joyce Wieland, entre outras. Muitas destas obras de arte fazem parte das colecções da National Gallery, do Hirshhorn Museum and Sculpture Garden (Washington), do Neuberger Museum (Purchase, Nova Iorque), assim como importantes colecções privadas.