quarta-feira, 24 de julho de 2013

“BYE BYE BRAZIL”: EXPOSIÇÃO DE SARAH MORRIS NA GALERIA WHITE CUBE, EM LONDRES


A artista britânica Sarah Morris faz filmes e pinturas sobre as cidades, que derivam de uma inspeção de detalhes arquitetónicos combinados com uma crítica à psicologia da urbe, da sua política, dos seus principais protagonistas e cidadãos. Com a sua lente, a artista negocia o acesso a áreas restritas para a maioria das pessoas (as instalações olímpicas de Pequim antes da realização dos jogos, a red carpet em Los Angeles, a Casa Branca quando Bill Clinton estava na residência) e inspirada pelas suas descobertas cria coloridas telas abstratas.

O seu último trabalho, intitulado “Bye Bye Brazil”, consiste numa série de pinturas marcadas por linhas geométricas e arquitetónicas e está atualmente em exibição na galeria White Cube, em Bermondsey, Londres. Sarah Morris denomina-as de “diagrams” e cita como principais inspirações o trabalho de Roberto Burle Marx, Lina Bo Bardi e Oscar Niemeyer, o Carnaval no Sambódromo, os ciclos lunares, as frutas, o design industrial brasileiro e até mesmo as capas dos álbuns de Bossa Nova, Roberto Burle Marx e Lina Bo Bardi.

Através destas composições repetitivas e de cores vivas, repletas de curvas, vetores e esferas interligadas, Sarah Morris explora os símbolos culturais do Rio de Janeiro, bem como os códigos e as poderosas estruturas arquitetónicas da cidade.


FOTOS: © Sarah Morris; Fotografia: Ben Westoby; Cortesia: White Cube

1 - 'Sambódromo da Marquês de Sapucaí' [Rio], 2012.

2 - 'Banco Safra' [Rio], 2012.

3 - 'Academia Militar' [Rio], 2012.

4 - 'Globo' [Rio], 2013.








Sem comentários: