sábado, 12 de março de 2011

MARIA GAMBINA


COLECÇÃO INVERNO 2012

DOWNLOAD PRESS RELEASE >



EM CONVERSA COM MARIA GAMBINA

Daily ModaLisboa - Qual a importância da ModaLisboa para a divulgação e desenvolvimento do trabalho dos Criadores de Moda Portugueses, ao longo dos últimos 20 anos?

Maria Gambina - A ModaLisboa teve, sem dúvida, um papel vital na promoção dos trabalhos dos criadores portugueses, sendo, hoje em dia, uma marca consolidada. A ModaLisboa afirmou-se e diferenciou-se pela qualidade e profissionalismo dos seus colaboradores e, claro, dos seus eventos. Costumo dizer que sou "filha" da ModaLisboa. Foi, aliás, devido à oportunidade de participar no concurso Sangue Novo, promovido pela ModaLisboa, e de ter alcançado, por duas vezes consecutivas, o primeiro lugar que fui convidada a fazer parte das apresentações nacionais, até hoje. Se o meu trabalho é hoje conhecido quer a nível nacional quer a nível internacional devo-o à ModaLisboa.


- De todas as edições da ModaLisboa em que participou, destaque:

- A edição mais memorável?

Tive duas. A edição de Verão 2000, na qual participei com a colecção MUSIC IS MY LIFE, tendo obtido, embora não esperasse, o prémio de melhor colecção feminina. E a edição de Verão 2002. A ModaLisboa foi realizada numa tenda e na hora exacta do meu desfile chovia lá dentro. Parecia que a tenda ia pelos ares… Muitas pessoas levantaram-se e foram embora. Apesar deste cenário, os manequins desfilaram como se nada estivesse a acontecer... foi mesmo memorável!

- O melhor tema?
Não me lembro do tema, mas tenho até hoje guardado religiosamente um objecto que fazia parte dessa edição, uma boneca de plástico com roupa para se vestir do Francisco Rocha.

- O melhor local?
O Terlis, grande, intenso, com história e junto ao rio.

- A melhor passerelle?
Foi na Torre Vasco da Gama, em forma de “U” e com 1,07 metros.

- A melhor colecção que apresentou?
A melhor colecção que apresentei até hoje foi a de Verão 2004. Chamava-se "The dark side of délicatesse". Até hoje olho para ela de uma forma especial, foi inspirada na minha cadela, a DJ.

- A situação/experiência mais curiosa que viveu?
Tantas e todas elas ligadas à música. O desfile da colecção " Music is my Life" terminava com uma t-shirt que dizia "The Men I Love". Por baixo escrevi só os primeiros nomes dos ditos homens... Stevie, Curtis, Caetano, Rainer, Michael, Papá. Só conhecia o meu pai, claro. Passado umas semanas, o Rainer Truby veio pôr música num bar aqui no Porto. Na noite anterior tinha estado no LUX, disseram-lhe que havia uma estilista que tinha feito uma t-shirt com o nome dele e que ela estaria, de certeza, no dia seguinte no 31 no Porto. Ele achou que ia ser fácil identificar-me porque achava que ia estar com a dita t-shirt vestida. Mas não… Mal cheguei ao 31, comecei a dançar e apareceu uma rapariga muito bonita, estrangeira, que me perguntou se podia ficar a dançar ao meu lado. Disse-me mais tarde que sentiu, mal me viu, uma enorme empatia. Pois é, era a namorada dele... hoje somos grandes amigos. Para a vida! O mais giro é que só meses depois é que ele soube que eu era a tal... a da t-shirt. A vida tem destas coisas… Mas a melhor de todas foi ter feito uma colecção inspirada numa música do Steve Reid, achando que ele já tinha morrido. 3 anos mais tarde fiquei a saber, para espanto meu, que ele ia à Casa da Música. Fui ao concerto, levei o CD com as fotos do desfile, mas… vim-me embora sem entregá-lo... No dia seguinte encontrei uma pessoa minha conhecida que fez questão de entregar ao Steve as fotos e nessa noite acabei por jantar com ele e com a Francesca (a mulher do Steve). Não houve, desde então, Natal que não me ligasse. Sempre que o Steve fazia algo de novo era sempre umas das primeiras a saber. Era… porque ao ligar-me, em Abril de 2010, ao face, descobri que o Steve tinha morrido. Chorei como se fosse alguém da minha família, e era!. Só pensava na Francesca, como é que ela estaria… e, nesse momento, nesse exacto momento, ela ligou-me. Coisas da vida… Acabamos por passar esse Verão juntas. Não sei se no dia 12 ela estará, como desejo, a assistir ao meu desfile... Uma coisa tenho a certeza: a ModaLisboa proporcionou-me oportunidades que enriqueceram o meu mundo e que me fazem acreditar que o meu trabalho não é mais que um percurso para atingir coisas muito mais valiosas.


- Que mensagem gostaria de deixar à ModaLisboa neste 20º aniversário?
Que a amo e agradecer-lhe por tudo. Muito obrigada!

- Fale-nos um pouco da colecção que vai apresentar nesta edição comemorativa.
Esta colecção é uma viagem de mudanças. É muito jovem, colorida, prática e urbana. Rica em pormenores e em detalhes de acabamentos. Acho que o meu lado street voltou ao de cima... Sempre a mesma dualidade: clássica nos intemporais, irreverente na atitude.



DESFILE

Sem comentários: