quarta-feira, 8 de julho de 2015

"YVES SAINT LAURENT: STYLE IS ETERNAL" EM EXIBIÇÃO NO THE BOWES MUSEUM


Entre 11 julho e 25 outubro de 2015, o The Bowes Museum, em County Durham, Reino Unido, apresenta "Yves Saint Laurent: Style is eternal", uma grandiosa exposição que retraça quarenta anos de carreira do grande mestre da Alta Costura do século XX.

A exposição, cujo título faz alusão à citação do próprio Yves Saint Laurent - “Fashion fades, style is eternal” – dá a conhecer cinquenta das suas mais emblemáticas criações, como os vestidos Mondrian (1965), o Tuxedo (1966) e a "Russian Collection" (1976), entre muitas outras.

A mostra destaca as diversas influências de Yves Saint Laurent, explorando temas como Arte, Transparência, Masculino/Feminino. Apaixonado pelas artes, e ele próprio um colecionador, o criador francês prestou homenagem a vários artistas nas suas coleções de Alta Costura: Mondrian em 1965, Picasso em 1979, Matisse, Cocteau, Braque e Van Gogh na década de 1980. Algumas das peças mais icónicas dessas coleções estão agora em exibição no The Bowes Museum, juntamente com muitas outras criações únicas que marcaram a carreira de Yves Saint Laurent.

"Yves Saint Laurent: Style is eternal". Uma exposição imperdível para os amantes de moda!


SOBRE YVES SAINT LAURENT

Yves-Mathieu Saint Laurent nasceu a 1 de Agosto de 1936 em Oran, na Argélia. Em 1954, matriculou-se na Chambre Syndicale de la Couture, mas a sua vida de estudante durou apenas três meses. Começou a trabalhar com Christian Dior e quando este morreu, em 1957, foi nomeado diretor criativo da casa Dior, quando tinha apenas 21 anos. Em 1958, apresentou a sua primeira coleção para a Dior, “Trapézio”, que foi um êxito total e pôs fim a anos de “ditadura” da cintura de vespa. Em 1962 abriu a sua própria casa de Alta Costura, em parceria com Pierre Bergé.

Yves Saint Laurent marcou a história da Moda com criações emblemáticas como a linha trapézio, as botas de cano acima do joelho, o estilo safari, as transparências (lançadas em 1968), a blusa com laçada, o fato de duas peças. Mas a sua grande distintiva foi, sem dúvida, o "smoking" feminino, apresentado pela primeira vez em 1966, com uma blusa transparente e calças masculinas. A liberdade oferecida por Chanel ganhou mais força com este novo fato, que se tornou símbolo de uma nova atitude feminina. “Se Chanel liberou as mulheres, Saint Laurent deu-lhes o poder com roupas de homem”, afirmou Pierre Bergé. Depois disso, o smoking passou a integrar todas as coleções de Yves Saint Laurent.

No início, Yves Saint Laurent recorreu ao estilo sóbrio e ao negro, até que, numa viagem a Marraquexe, se deixou conquistar pelas cores que viriam a dominar algumas das suas coleções, como Picasso (1979), Matisse (1981) e Van Gogh (1988). Em 1999, o grande mestre vendeu os direitos da sua coleção Rive Gauche, perfumes, cosméticos e acessórios ao grupo Gucci.

Depois de 40 anos de grandes sucessos, incluindo 70 coleções de Alta Costura, Yves Saint Laurent disse adeus às passerelles em janeiro de 2002, com a apresentação de um desfile retrospetivo das suas criações, no Centro Georges Pompidou, em Paris.

Sobre o seu trabalho, Yves Saint Laurent afirmou outrora: "A roupa mais bonita para vestir uma mulher são os braços do homem que ela ama. Para as que não tiveram essa felicidade, eu estou aqui."

Yves Saint Laurent morreu em Paris, a 1 de junho de 2008.


Sem comentários: