quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

O CÍRCULO DELAUNAY


Até 22 de fevereiro de 2016, o Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian dedica uma exposição especial ao trabalho do casal de artistas franceses Sonia e Robert Delaunay e ao seu impacto no meio artístico em Portugal.

Sonia Delaunay (1885-1971) e Robert Delaunay (1885-1941), precursores da pintura abstrata, refugiaram-se em Portugal em 1915, durante a 1ª Guerra Mundial. O casal viveu em Vila do Conde, entre junho de 1915 e janeiro de 1917, convivendo de perto com artistas portugueses como Amadeo de Souza-Cardoso, Almada Negreiros, Eduardo Viana, José Pacheco e o pintor americano Samuel Halpere.

“As Férias Grandes", como Sonia Delaunay chamou ao período passado em Portugal, constituiu para o casal uma época de intenso trabalho. Foi então que os artistas experimentaram a pintura encaustica, na qual o pigmento é misturado com cera aquecida e derretida. Samuel Halpert, Eduardo Viana e Amadeo de Souza-Cardoso experimentaram esta técnica, obtendo camadas de cores mais saturadas e aveludadas, que no caso da pintura dos Delaunay contribuíram para uma maior vibração dos contrastes simultâneos (simultaneismo ou pintura pura, como ficou conhecida).

A exposição “O Círculo Delaunay” reúne muitos das obras que o casal Delaunay realizou no nosso país, dando especial destaque ao projeto coletivo “La Corporation Nouvelle” (Nova Corporação) no qual colaboraram os artistas portugueses Amadeo de Souza-Cardoso, Almada Negreiros e Eduardo Viana.

Uma exposição a não perder!



FOTOS (da esquerda para a direita, e de cima para baixo):
01 - Cantores de Flamenco (Grande Flamenco), 1915-1916
02 - A Revolta das bonecas (A Revolta), 1916
03 - Auto-Retrato (para o Catálogo da Exposição de Estocolmo), 1916

Sem comentários: