terça-feira, 10 de maio de 2016

“MANUS X MACHINA”: A MODA NA IDADE DA TECNOLOGIA




Esta primavera, o Costume Institute do MET Museum, em Nova Iorque, apresenta “Manus x Machina: Fashion in an Age of Technology”, uma exposição que explora como os designers de moda conciliam o trabalho manual e o industrial na criação de coleções de Alta Costura e pronto-a-vestir.

Patente no primeiro andar e piso térreo do museu até ao dia 14 de agosto, a exposição reúne mais de 170 criações de moda datadas do início do século XX até à atualidade. A invenção da máquina de costura em 1851 e, mais tarde, o aparecimento da Alta Costura e do pronto-a-vestir provocaram uma dicotomia entre o manual e o manufaturado que perdura até hoje na moda. Com esta exposição, o curador Andrew Bolton propõe a convergência entre a mão e a máquina, mostrando como elas, na realidade, caminham juntas. “A impressão 3D, por exemplo, é feita por uma máquina, mas o desenho é realizado por uma pessoa e a programação da impressora também. Robôs ainda não têm autonomia criativa”, exemplifica.

“Manus x Machina” apresenta uma série de case studies que visam desvendar o enigma mão / máquina e questionar a relação e distinção entre a Alta Costura e o pronto-a-vestir. "Tradicionalmente, a distinção entre Alta Costura e pronto-a-vestir está no feito à mão ou feito à máquina. Mas essa distinção tem vindo a tornar-se cada vez mais ténue, pois ambas as disciplinas adotaram as práticas uma da outra", explica Andrew Bolton.

Peças adornadas com bordados, plumas, plissados e rendas feitos e/ou aplicados à mão fazem contraponto com peças criadas por processos inovadores, como a impressão 3D, malha 3D, modelagem por computador, estamparia digital ou corte a laser.

Um vestido de Alta Costura plissado à mão de Dior por Raf Simons de 2014 está exposto ao lado de um vestido de Issey Miyake, criado em 1994 e plissado por uma máquina. O modelo floral futurista de Hussein Chalayan do inverno 2012 convive com os vestidos com flores bordadas à mão de Christopher Kane de 2014. Um vestido adornado com plumas colocadas manualmente por Yves Saint Laurent em 1969 contrasta com uma criação de Iris van Herpen, de 2013, em que as penas são feitas em silicone cortado a laser.

Segundo Andrew Bolton, a inspiração inicial da exposição foi o vestido de noiva que Karl Lagerfeld criou em 2014, no qual ambos os processos se fundem.“Lagerfeld chama o ‘vestido de Alta Costura sem costura’, porque foi moldado em vez de costurado. Para a produção da peça foram necessárias cerca de 450 horas de trabalho.”

Uma mostra imperdível para os amantes de moda!



FOTOS: © Nicholas Alan Cope

1 - Vestido de noiva Chanel Alta Costura FW 14/15
2 - Vestido de noite YSL Alta Costura FW 1969
3 - Vestido Iris van Herpen Alta Costura FW 13/14
4 - Look Iris van Herpen Alta Costura SS 10
5 - Look Raf Simons Alta Costura SS 15
6 - Vestido Issey Miyake SS 94
7 - Vestido Christian Dior Alta Costura SS 1952
8 - Vestido de noiva Chanel Alta Costura FW 05/06
9 - Vestido Nicolas Ghesquière SS 03
10 - Vestido Iris van Herpen Alta Costura SS12

Sem comentários: