segunda-feira, 5 de setembro de 2011

SALVADOR DALÍ INSPIRA LANCEL

Pintor, escritor, arquitecto, Salvador Dalí foi um artista versátil que explorou todos os domínios da criação. Em 1929, numa praia da Catalunha, viu pela primeira vez Helene Dimitrievna Diakonava, mais conhecida por Gala, e enamorou-se imediatamente. Ela era a mulher com quem ele “sonhou e pintou antes de conhecer". Gala tornou-se na sua musa e sua mulher. No final da década de 1960, Dalí criou uma linguagem própria, um alfabeto do amor com oito caracteres que o artista surrealista chamou de Dalígramme, que consistia em versões redesenhadas das letras G de Gala, D de Dalí e S de Salvador.


Inspirada pela paixão entre dois indivíduos, a marca francesa Lancel criou, em 1970, uma colecção de malas em couro adornadas com os símbolos/letras desenhadas por Salvador Dalí e cujas alças tinham a forma de uma corrente de bicicleta, símbolo da união entre o artista e a sua musa. A Lancel volta agora a prestar homenagem a essa paixão, ao reeditar a colecção Dalígramme e aproveita a oportunidade para apresentar, em parceria com a Fundació Gala-Salvador Dalí, a retrospectiva L'art, l'amour, la mode, com fotos do casal. A mostra, que retraça o mito de um romance eterno, revelando um Salvador Dalí desconhecido e apaixonado, estará patente ao público até ao próximo dia 20 de Setembro, nas Galeries Lafayette, em Paris.

Sem comentários: