terça-feira, 3 de maio de 2011

AS "ESCULTURAS VESTÍVEIS" DE SANDRA BACKLUND

Sandra Backlund é conhecida no mundo da moda pelas suas vanguardistas e conceptuais criações de “collage knitwear”. A designer sueca, formada pelo Beckmans College of Design, em Estocolmo, em 2004, trabalha como uma escultora, sendo a maioria das suas peças produzidas à mão e com volumes inesperados, que impressionam pela beleza das formas tridimensionais. Backlund constrói manualmente verdadeiras “esculturas vestíveis” e faz experiências com diversos métodos e materiais, incluindo o algodão, a lã, o papel, e até mesmo o vidro, para criar peças impressionantes.

Desde sempre interessada pelo artesanato tradicional, Sandra Backlund gosta de pensar a moda como uma forma de arte, mais do que uma indústria: “Para mim, a moda é uma arte simples. Com o corpo humano como principal ponto de partida, improviso num manequim ou em mim mesma para conseguir novas formas e silhuetas que nunca poderia imaginar na minha mente. Não faço esboços, invento as peças quando as estou realmente a criar. Trabalho com colagens tridimensionais, começo com uma parte, multiplico-a e assim continuo até que seja uma peça. Uma coisa leva à outra”.

O trabalho de Sandra Backlund combina o seu lado criativo com o seu lado mais técnico descoberto durante a sua formação no Beckmans College of Design. As colagens converteram-se no grande interesse da designer, que o traduz no seu trabalho com técnicas tradicionais e artesanais.

A sua colecção Primavera/ Verão 2010 foi a primeira a ser produzida industrialmente, já que até então todas as peças eram confeccionadas por si, à mão. “O meu trabalho é muito pessoal. Improviso e permito-me perder o controlo e ver o que acontece se não me preocupar demais em fazer coisas praticas. Fascinam-me todas as formas de realçar, distorcer e transformar a silhueta com roupas e acessórios. O trabalho manual é muito importante, e um verdadeiro desafio. Interessam-me todos os processos de confecção tradicional, e experimento inúmeros materiais e técnicas, mas a colagem tridimensional de tricot é a mais significante.”

Hoje, a sua marca está presente em Londres, Paris, Hong Kong, Roma, Florença, Montreal, Brescia, Antuérpia e Los Angeles, e é requisitada para editoriais das mais importantes revistas internacionais.



1 comentário:

Linha Y disse...

São fotos impressionantes, muito bem conseguidas.

De notar as expressões dos modelos, quase que a fazer lembrar sofrimento, como se estivesse presas na própria roupa.

Gostei

Micael