quarta-feira, 7 de abril de 2010

LOUIS VUITTON APRESENTA COSMIC BLOSSOM

Esta Primavera, a Louis Vuitton volta a colaborar com Takashi Murakami e apresenta uma nova e colorida colecção de edição limitada: Cosmic Blossom.

O aclamado artista Neo-Pop japonês, que criou as reinterpretações de culto da tela Monograma, como Monogram Cerise, Eye Love Monogram, Monogramouflage e Monogram Multicolore, encontra uma nova tela de expressão com Cosmic Blossom. Num fundo de cores vivas, as icónicas flores do Monograma da Louis Vuitton brincam com rostos sorridentes, um tema recorrente na arte Murakami, que funde elementos gráficos manga com motivos pictóricos tradicionais do Japão.

Divertida e distinta, a colecção Cosmic Blossom inclui pronto-a-vestir, acessórios e artigos em pele em três cores. Para os artigos em pele, a Louis Vuitton desenvolveu uma tela de vinil estampada, cujo acabamento brilhante faz a transição da cidade para a praia. Uma cómoda bolsa holdall em dois tamanhos é acompanhada pela icónica pochette com assinatura Louis Vuitton. As flores do Monograma da Louis Vuitton e os rostos sorridentes estampam também t-shirts, écharpes, lenços e biquínis, iluminando os dias de Verão com o seu espírito alegre e cores doces.

Cosmic Blossom estará disponível nas lojas Louis Vuitton a partir do próximo dia 15 Abril e tem como protagonista a modelo Daisy Lowe fotograda em Miami.


TAKASHI MURAKAMI, nascido em Tóquio em 1962, é um dos mais influentes e aclamados artistas nipónicos da actualidade. Formou-se em pintura tradicional japonesa, conhecida como Nihonga, na Tokyo National University of Fine Arts and Music, mas a popularidade da animação e da banda desenhada manga desviou o seu interesse para a arte da animação, que, segundo o próprio artista, “era mais representativa da vida moderna japonesa”. A cultura popular americana sob a forma de animação, comics e moda são as principais influências do trabalho de Murakami, que abrange pintura, escultura, instalação e animação, assim como uma vasta gama de produtos coleccionáveis e comerciais.


Sem comentários: