domingo, 13 de outubro de 2013

NUNO BALTAZAR


COLEÇÃO VERÃO 2014

DOWNLOAD PRESS RELEASE >



EM CONVERSA COM NUNO BALTAZAR

Daily ModaLisboa - Numa época em que se fala do regresso ao essencial, qual o papel da moda?
Nuno Baltazar - O papel da moda é contrariar esse sentido. As indústrias criativas têm sempre essa responsabilidade, a de se superarem quando as condicionantes económicas "exigem" o essencial. Estimular o individual, procurar uma identidade forte e que possa servir a mulher urbana, atual, que de forma nenhuma se reduz ao essencial…

Daily ModaLisboa - O que é hoje “estar na moda”?
Nuno Baltazar - É ser informado, exigente, preferir o individual, o manual.

Daily ModaLisboa - Na sua opinião podemos falar em "Identidade da Moda Portuguesa"? Em caso afirmativo, quais as características que marcam a diferença?
NB - Acho que é precisamente na diferença das "assinaturas" dos protagonistas da moda de autor em Portugal que se encontra a sua identidade. É muito fácil saber, mesmo sem qualquer identificação, a que designer pertence determinada coleção. Mas se tiver de encontrar um fio condutor entre os designers portugueses, acho que é num certo lado melancólico que, de uma forma mais experimental ou mais clássica, é mais ou menos transversal a todos.

Daily ModaLisboa - Enumere 3 coisas sem as quais não consegue viver a nível profissional.
NB – A emoção, a dúvida e a superação pessoal.

Daily ModaLisboa - Um momento da sua carreira que gostasse de reviver?
NB - Vários temas, coleções às quais sei que um dia vou voltar e reviver com outra maturidade criativa. Tenho muito essa vontade. Reviver para fazer melhor.

Daily ModaLisboa - Fale-nos um pouco da nova coleção verão 2014. O que o inspirou e quais as suas propostas para a próxima estação quente?
NB - A coleção é a minha interpretação sobre um nos ícones da música sacra – o Stabat Mater. Foram vários os compositores que se debruçaram sobre este tema, com especial destaque para o Sabat Mater Dolorosa de Pergolesi ou Vivaldi e o Stabat Mater Speciosa de Liszt. Em espetros opostos falam sobre a presença da mãe de cristo no momento do seu nascimento e da sua morte. A oposição entre estes dois momentos reflete-se nas propostas easy wear, depuradas e naturais por contraste a silhuetas mais exuberantes com cores e volumes de exaltação da feminilidade. As diferentes representações da mãe de cristo na arte sacra ao longo dos tempos são o ponto de partida para uma história de contrastes. É uma coleção de contrastes e uma homenagem às mulheres, às mães.




DESFILE



© ARQUIVO MODALISBOA / FOTOGRAFIA RUI VASCO


Sem comentários: