segunda-feira, 17 de maio de 2010

AS INSPIRAÇÕES DE MARIANO FORTUNY

A exposição “Inspiraciones – Mariano Fortuny”, patente no Museo del Traje, em Madrid, até 27 de Junho, é uma visita obrigatória para quem gosta de moda e arte, e uma oportunidade única para conhecer um pouco mais sobre o trabalho deste criador multidisciplinar, cujas inovadoras criações enriqueceram a moda do início do século XX.

“Inspiraciones – Mariano Fortuny” examina a incursão de Fortuny pelo design têxtil e pelo teatro, transportando o público para a romântica Belle Epoque e para o auge de uma sociedade dominada pela classe burguesa. Em exibição estão cerca de 130 peças, entre pinturas, gravuras, fotografias, têxteis e criações de moda pertencentes às colecções do Museo del Traje, ao Museo Fortuny de Veneza, à Fundación Giorgio Cini de Veneza, e a várias colecções particulares. A exposição é complementada com peças provenientes do Museo del Prado, do Museo Arqueológico Nacional, da Real Academia de Bellas Artes de San Fernando, da Calcografía Nacional e a Biblioteca Nacional, que ilustram as inspirações e obras de arte de uma das mentes mais criativas do início do século passado: Mariano Fortuny y Madrazo.

Por detrás da montagem desta exposição existe um enorme trabalho de conservação e restauração das peças, como explica Silvia Monteiro, a responsável pelo restauro das colecções do Museo del Traje. Veja o vídeo abaixo.

Mariano Fortuny nasceu em 1871 e tornou-se um criador de moda famoso no virar do século XIX para o século XX. No teatro, desenvolveu o seu interesse por figurinos e criou o seu look mais célebre: o Delphos, um vestido de inspiração grega, em seda plissada, que vinha enrolado e guardado numa caixa de chapéu. A leveza dos seus plissados, que alcançaram o auge de popularidade na década de 1920, encontra eco nos modelos de designers como Issey Miyake, fã declarado de Fortuny.

Sem comentários: