quarta-feira, 28 de julho de 2010

ZAHA HADID E O SUPREMATISMO RUSSO

Zaha Hadid comissariou e desenhou uma exposição na Galerie Gmurzynska, em Zurique, que mistura o seu próprio trabalho com peças de arte russas do início do século XX. “Zaha Hadid and Suprematism” está patente ao público até ao dia 25 de Setembro e segue o contínuo interesse de Zaha Hadid pelo Suprematismo Russo, o movimento artístico derivado do cubismo no qual os elementos formais se reduzem a formas geométricas básicas, que a arquitecta explorou pela primeira vez no seu projecto final de licenciatura em 1976-77.

Esta é a primeira exposição que explora directamente a ligação entre o trabalho de Zaha Hadid e o dos artistas suprematistas russos do início do século XX. Diversos trabalhos de Zaha Hadid são expostos ao lado de obras de arte de Ilya Chashnik, El Lissitzky, Kazimir Malevich, Alexander Rodchenko e Nikolai Suetin, mostrando a contribuição da arquitecta iraquiana para a cultura contemporânea, assim como a contínua influência e importância do Suprematismo.


Suprematismo foi o nome dado pelo pintor Kazimir Malevich ao movimento artístico que surgiu por volta de 1913 e que levou o abstraccionismo geométrico à simplicidade extrema. A preocupação fundamental do artista foi a realização plástica pura da noção de espaço, ou seja, a relação entre as formas e o espaço que as circunda. O Suprematismo caracterizou-se pela simplicidade das formas geométricas básicas (quadrado, rectângulo, triângulo, círculo e cruz), e pela utilização de uma gama cromática restrita, constituída pelas cores primárias e secundárias – vermelho, amarelo, azul e verde - pelo branco e o preto. O movimento foi teorizado primeiro no manifesto de 1915, escrito por Kazimir Malevich em colaboração com o poeta Vladimir Maiakovski, e mais tarde no seu ensaio “O suprematismo ou o mundo da não representação” (1920). “Eu sentia apenas noite dentro de mim, e foi então que concebi a nova arte, que chamei Suprematismo”, afirmou Kazimir Malevich ao descrever o que o inspirou ao pintar a obra “Quadrado negro sobre um fundo branco”.

O Suprematismo defendia uma arte liberta de fins práticos e estéticos, a abstracção pura, expressada por meio de figuras geométricas, prescindindo da aparência dos objectos. Um exemplo dos limites desta arte é outra obra de Malevich “Quadrado branco sobre branco”, de 1918, na qual o pintor prescindiu completamente da cor. O Suprematismo teve uma grande influência em pintores como Wassily Kandinsky e na Bauhaus alemã. Permaneceu ligado essencialmente ao seu criador, mas a sua poética superou a pintura e os modelos arquitectónicos do artista.


Sem comentários: