sexta-feira, 18 de julho de 2008

A MULHER MARAVILHA DE DIANE VON FURSTENBERG

Diane Von Furstenberg vai lançar uma nova colecção no próximo Outono, inspirada na personagem da DC Comics, Wonder Woman (Mulher Maravilha).

A linha compreende vestidos, calçado e alguns acessórios em pele em cores vibrantes e inspirados nos símbolos pelos quais a super heroína é conhecida. Criada em colaboração com a Warner Bros e a DC Comics, esta mini colecção visa angariar fundos para a Vital Voices Global Partnership - organização não governamental, sem fins lucrativos, que promove e defende a participação das mulheres em cargos de chefia - e estará disponível nas lojas Diane Von Furstenberg a partir do mês de Outubro.

"A Wonder Woman é o símbolo da força, independência e liberdade feminina. Quando a Warner Bros me convidou para colaborar, pensei imediatamente que seria uma ideia divertida que iria reforçar a minha crença nas mulheres. A colecção vai inspirar cada mulher a ser a Mulher Maravilha que deseja ser”, afirmou a designer.



DIANE VON FURSTENBERG

Criadora do wrap-dress, Diane Von Furstenberg casou-se com um príncipe, recebeu o título de Princesa, mas deixou o castelo para se transformar em mito da moda. A designer belga naturalizada norte-americana é considerada umas das mais importantes criadoras de moda da década de 1970.

“Quero que as mulheres se sintam poderosas e atraentes. Se você é confiante, é bonita”, afirmou Diane, 61 anos, que se converteu em ícone de moda na década de 70, quando criou os famosos vestidos-envelope (wrap-dresses), que se tornaram uma febre nos Estados Unidos ao simbolizar a libertação feminina.

Diane escolheu a cidade de Nova Iorque para viver. Instalou-se num prédio inteiro no Meat Packing District, onde passou a funcionar a sua grife DFV. Depois de vender 5 milhões de wrap-dresses por semana e de ser capa do Wall Street Journal e da Newsweek, decidiu suspender o seu negócio devido a um processo de expansão mal planeado. Na década de 80, mudou-se para Paris e entrou para o ramo editorial. Só voltou ao mundo da moda em 1997. “Tenho muito orgulho do que fiz ainda muito jovem. Criei uma marca, mas perdi-a. Agora, voltei ao negócio com muito mais experiência”, relatou. Em 1998, publicou as suas memórias, "DIANE: A Signature Life". Em 2005, o Council of Fashion Designers of America (CFDA) distinguiu-a com o prémio carreira e em 2006 nomeou-a sua presidente.

Diane viaja pelo mundo em busca de inspiração. “Gosto de criar em cima da minha própria vida. Viajo muito, observo bastante e as minhas criações acabam por surgir desta aprendizagem”, afirma a designer.

Sem comentários: